15 de novembro de 2011

O Palhaço!

> Os palhaços Pangaré (Selton Mello) e Puro Sangue (Paulo José) comandam o ‘Circo Esperança’ que viaja pelos interiores do Sudeste brasileiro levando bom-humor e entretenimento as pessoas das pequenas cidades. Porém quando o espetáculo termina Benjamin (verdadeiro nome do palhaço Pangaré) não consegue saber se aquela vida é o que ele realmente busca, pois uma pessoa que trabalha fazendo as outras sorrirem é na verdade um homem triste, sem pretensões e sem identidade.

> Selton Mello faz um excelente trabalho tanto na interpretação quanto na direção. A técnica do filme mostra que o cinema nacional pode fazer um filme regionalista e fugir dos moldes preestabelecidos pelos filmes com temáticas sertanejas. “O Palhaço” é um excelente filme também porque mostra que muita simplicidade, escolhas de bom gosto e um roteiro “redondo” fazem o espectador esquecer a quase necessidade de um tema apelativo em um filme nacional.

> É quase unanimidade entre o público brasileiro que Paulo José é um dos grandes atores tanto do cinema quanto da televisão nacionais e que Selton Mello também garantiu seu lugar de destaque por seus grandes trabalhos, mas grande parte do sucesso de crítica de “O Palhaço” se deu por causa das hilárias participações de grandes atores que hoje já não recebem grande destaque na mídia como Moacir Franco, Tonico Pereira e Jorge Loredo (vulgo ‘Zé Bonitinho’). O restante do elenco que compõe a trupe do ‘Circo Esperança’ também tem ótimos momentos e são responsáveis por grande parte do humor no filme.

> “O Palhaço” é o filme que pode ser definido como ‘comédia com toque de drama’ ou vice versa. O que fica de comum acordo é que o longa tem uma grande carga emocional, algumas vezes psicológica e especialmente cultural. Não é um filme com uma grande temática, ou de grandes questionamentos, ou de mensagens metafóricas é simplesmente um filme gracioso e cheio de sentimentos que nos faz sentirmos orgulho do cinema brasileiro.

0 comentários:

Postar um comentário