8 de dezembro de 2011

Meia-Noite em Paris (Midnight in Paris)!

> Gil (Owen Wilson) é um roteirista de sucesso em Hollywood, porém se decepciona quando vai escrever um romance, que é do que realmente gosta, e não consegue inspiração suficiente para desenvolver um enredo promissor. Em Paris, com sua noiva Inez (Rachel McAdams) e os pais dela e encontra o que precisava para dar continuidade a seu livro.

> Não sou um bom conhecedor dos trabalhos de Woody Allen, mas daqueles que vi, posso dizer que ‘Meia-Noite em Paris’ é um dos que apresenta as ideias mais bem definidas e trabalhadas. É impressionante como o filme sai do plano real e muda para um plano ‘fantástico’ sem mudar em exatamente nenhum aspecto – e o mais importante, sem se preocupar com isso, e isso só é possível por causa do roteiro riquíssimo e das belas locações da capital francesa. O filme é caracterizado por seu excesso de sutileza, seja na formação de personagens ou mesmo nas falas que fazem romper a comédia.

> É muito interessante ver como personagens reais do passado interagem, ou interagiriam com pessoas do presente. Todo o elenco está deslumbrante em seus personagens bem detalhados e que mesmo sendo moldados por suas características culturais, não deixam de transparecer uma veemência nas estruturas de suas personalidades, mesmo que algumas vezes sejam bem caricaturados. Owen Wilson, em uma de suas melhores interpretações, faz o confuso e neurótico ‘alter-ego’ de Woody Allen. Merecem destaque também Michael Sheen e Corey Stoll.

> O filme fala da busca por inspiração e respira inspiração. Existem em alguns momentos pequenas críticas a relacionamentos, e ao pseudo-intelectualismo, mas nada que Allen já não tenha feito de maneira mais áspera. No final temos a certeza que Paris é inspiradora, a literatura dos anos 20 é inspiradora, o cinema ainda é inspirador e ‘Meia-Noite em Pais’ é um dos melhores filmes do ano. É uma comédia elegante, de humor bem refinado e de muito bom gosto.

0 comentários:

Postar um comentário