31 de janeiro de 2012

Histórias Cruzadas (The Help)!

> A jovem escritora Skeeter (Emma Stone) vai mudar o comportamento de sua cidade em Mississipi quando busca escrever um livro sobre a situação social das babás negras que criam as crianças brancas na década de 60. O livro é baseado em histórias das próprias mulheres que são entrevistadas por Skeeter. De início elas hesitam pensando que as entrevistas só poderiam prejudicá-las e Skeeter consegue a ajuda apenas de Aibileen (Viola Davis) que então influenciará outras mulheres a relatarem as particularidades e as dificuldades de suas vidas e mudará a maneira de pensar de muitas pessoas na cidade.

> Filmes que abordam o preconceito geralmente são bem desiguais na distribuição de emoções nas cenas, aqui isso acontece porque o filme por inteiro, tirando as cenas de romance, trata sobre o preconceito. O filme não tem nada de inovador nos quesitos técnicos, na verdade é até bem comum. Histórias Cruzadas é um filme despretensioso que, salvo pelas atuações, tem um desempenho dentro do esperado, na verdade é até uma surpresa ver que tamanhas interpretações – exceto a de Emma Stone, gosto muito dela, mas ela está deveras avulsa – saíram de um filme que não aparenta ser tão bom quanto é.

> Histórias Cruzadas
é filme de coadjuvantes. Viola Davis está sim em uma atuação tocante no filme, porém não se é dado o destaque necessário que a personagem merecia por seu uma protagonista. Com essa falha no roteiro, Octavia Spencer e Jessica Chastain roubam inteiramente as cenas de maiores destaque no filme. Octavia Spencer costuma fazer pequenas pontas em séries e filmes para televisão, na verdade esse é o primeiro filme em que a vejo com um personagem digno de dedicação da parte dela; arrisco-me a dizer até que o que deixa o filme mais agradável é a história de sua personagem e sua atuação cativante. Jessica Chastain em 2011 se mostrou uma atriz das mais completas tendo feito 3 grandes filmes e em cada um deles personagens bem distintos, mas não menos intensos.

> Esse não é filme feito para mudar conceitos, na verdade os conceitos aqui apresentados são fortes, mas bem repetidos de vez em quando no cinema, é mais um filme para expor e relembrar as condições desumanas que muitos já sofreram por causa de pensamentos e ideias pequenas, mas que causaram grandes problemas civis. É um filme redondo, sem erros graves e sem motivos para isso.

0 comentários:

Postar um comentário