6 de março de 2012

A Mulher de Preto (The Woman in Black)!

> Arthur Kipps (Daniel Radcliffe) é um advogado que viaja para um pequeno vilarejo com o intuito de cuidar dos papéis relacionados à venda de uma casa cujos donos faleceram. Na cidade ele encontra uma população assustada e cautelosa com qualquer coisa que fuja de suas rotinas e na casa ele encontrará que as mortes das pessoas que ali viviam, evolve mais suspense, mais ódio e mais mistério do que se era conhecido.

> Não dei muita atenção quando vi que se tratava de um terror épico porque não se faz esse tipo de filme com frequência, portanto achei que seria uma decepção. Mas o filme surpreende em vários aspectos, primeiramente porque é um terror que usa com inteligência o que o gênero tem para oferecer de bom que é o jogo com sombras, cores e sons. Obtendo êxito nessas três características o filme assusta com estilo, algo parecido com que se conseguiu em “O Orfanato” (2008).

> Porém enquanto a parte técnica não deixa a desejar, a desenvoltura do roteiro é falha. Assim como muitos contos de terror o filme termina sem deixar muitas explicações e isso nem sempre é algo bom em um projeto audiovisual. Os contos de terror podem deixar um final, digamos, em aberto, pois todas as imagens que criamos na leitura são pessoais, mas em uma adaptação onde tenha o visual, o diretor deve imprimir suas ideias em todos os momentos do projeto, afinal, aquilo que estamos vendo é a interpretação dele do original, agrade ao espectador ou não. E a resolução aqui é simplesmente curta e sem muitas respostas para tudo àquilo que foi visto antes. O filme tem uma direção de arte e uma fotografia bem competentes para filmes de terror, resumindo, o filme foi levado bem a sério, mais pela parte técnica do que pelo roteiro, mas foi levado bem a sério e se mostra uma surpresa agradável.

0 comentários:

Postar um comentário