14 de julho de 2012

Poder Sem Limites (Chronicle)!

> Três jovens encontram uma substância misteriosa e ganham superpoderes ao entrar em contato com ela. Aos poucos vão descobrindo suas novas habilidades, como a capacidade de voar e telecinese, e o que fazer com elas. Porém um deles não saberá administrar seus poderes e poderá comprometer o segredo deles, entrar em confronto com as definições de moral, ética e respeito, e causar problemas muito maiores do que ele esperava.

> Já estamos em 2012 e o estilo de filmagem found footage (aquele com a câmera tremida filmado à mão) ainda está em alta. Digo ainda pois o precursor desse estilo, a Bruxa de Blair, já tem 13 anos e continua a ser, digamos, homenageado por outros filmes. E por mais que o estilo já esteja ficando manjado, esse ano tivemos Projeto X e Poder Sem Limites para provar que ainda resta criatividade nessa ideia. 

> O filme não tem muitas pretensões iniciais o que o torna surpreendente e instigante. O diretor estreante no cinema Josh Trank faz um bom trabalho aqui e só conseguiu um êxito melhor em seu primeiro trabalho porque parece que os produtores não quiseram investir o suficiente em efeitos visuais para deixar o filme mais, desse ponto de vista, digno de comparações com muitos blockbusters. Mas não que os efeitos tenham ficado ruins, não, longe disso, só não ficaram a altura do que merecia.

> O elenco pouco conhecido também deixou o filme com mais cara de uma "crônica" moderna e de documentário. O roteiro é cheio de alegorias, como a auto-suficiência que os jovens acham que possuem, superioridade e até bullying. Mas esses assuntos são abordados de uma forma que os deixam implícitos e não menos importantes por isso, não há aquela "mensagem final" ou "moral" que dá uma feição educativa para o filme - não que isso seja algo ruim - só não caberia de maneira nenhuma nesse filme. Há algumas surpresas inclusive no desfecho, em algum momento no meio do filme ele vai parecer que segue uma fórmula, porém existem mais supresas e mortes do que o esperado. Num geral, o filme é um projeto bastante inteligente disfarçado de um ordinário filme de adolescentes ou de filmes clichês de "heróis por acaso".

> A criatividade no estilo de filmagem em Poder Sem Limites é que, como todos estão passando pela mesma situação, nada mais justo do que todos poderem mostrar seus poderes e não deixar um deles simplesmente de fora filmando e com poucas cenas. Aqui a câmera passa por uma rotatividade e depois ela fila de maneira independente, sendo levitada com os poderes obtidos. Por sua independência de atores para fazer sucesso, por seus poderes obtidos sem uma explicação óbvia ou sem explicação nenhuma e pelo resultado simples, completo e até comovente, Poder Sem Limites merece ser visto.

0 comentários:

Postar um comentário