22 de agosto de 2012

Um Divã para Dois (Hope Springs)!


> Kay (Meryl Streep) e Arnold (Tommy Lee Jones) formam um casal que, já com algumas décadas juntos, estão presos em um casamento rotineiro e sem nenhum envolvimento emocional por parte de ambos. Então Kay decide levar seu impertinente marido para a terapia do Dr. Bernie (Steve Carell) que promete curar todo tipo de problema matrimonial, e então o casal terá que enfrentar alguns problemas velhos e esquecidos e outros novos e desconhecidos para fortalecerem seu relacionamento.

> Um dos elementos que difere Um Divã Para Dois dos demais filmes com terapias de casais, é que esse não mostra a “crise dos sete anos” tão comentada nas comédias românticas de Hollywood. Aqui temos um casal já com um histórico familiar considerável e que o matrimônio se vê estagnado em 31 anos de monotonia e rotina. O roteiro de Um Divã Para Dois é muito mais intimista do que qualquer outro filmes de divãs para casais e que só cabia para atores renomados como Meryl Streep e Tommy Lee Jones.

> Os protagonistas estão em atuações notáveis na comédia. Meryl Streep faz valer a pena qualquer filme em que apareça e Tommy Lee Jones está sensacional, muitas vezes consegue um feito quase impossível que é se destacar em algumas cenas que contracena com Meryl. E são personagens que podem parecer repetidos de início, mas que apresentam trejeitos e atitudes diferentes das comédias manjadas e repetidas. O forte aqui está nos diálogos e nas cenas muito bem rodadas de terapia onde piadas inúteis são evitadas e a graça fica na espontaneidade dos eventos. Um Divã Para Dois é um filme bom que se torna ótimo por seus protagonistas.

> O filme serve para provar que alguns tipos de comédias têm uma profundidade muito maior quando se valorizada o roteiro e a abordagem usada, pois é um filme que consegue agradar um público de várias idades, e com êxito. E diferente do que se vê em muitos outros, esse filme valoriza a instituição familiar tradicional, fiel e unida.

0 comentários:

Postar um comentário